domingo, 4 de agosto de 2013

Por que estudar Finlandês?


     Em diversos cantos do mundo há pessoas que se entusiasmaram pela língua finlandesa. As motivações para estudar finlandês são bastante variadas. Para muitos o interesse é rigorosamente linguístico. O finlandês pertence às línguas fino-úgricas. Os seus parentes linguísticos mais próximos são as outras línguas finobálticas: por exemplo o careliano, o estoniano e o livónico. Outros parentes mais distantes incluem o húngaro.

      Muitos interessam-se pelo finlandês por se tratar de uma língua nórdica – e é verdade que em muitos casos o ensino de finlandês tem lugar nos departamentos de Filologia Escandinava. Contudo, o finlandês não é relacionado com as outras línguas escandinavas. A Finlândia tem uma forte identidade nórdica: quanto às suas tradições, sua cultura, sua história e suas condições sociais, o país está mais próximo dos outros países nórdicos do que dos seus vários parentes linguísticos. Esta proximidade é fortalecida pelo fato de a Finlândia ser um país bilíngue com uma rica cultura de língua sueca. 

    A Finlândia também tem muito para oferecer como lugar de estudo: o país orgulha-se com a alta qualidade do ensino, da investigação e dos serviços para estudantes. Também há ensino disponível em outras línguas além do finlandês, pois todas as nossas instituições de ensino superior oferecem blocos de estudos de dimensões variadas especificamente para estudantes internacionais. Geralmente estes blocos são ensinados em inglês. Por isso, o domínio da língua finlandesa não é indispensável, mas com certeza ajuda na adaptação ao país. A língua finlandesa é a chave para entender a Finlândia e o que significa ser finlandês.


      Finlandês é um idioma diferente 

 

     O finlandês tem fama por ser uma língua difícil. Contudo, muitas coisas consideradas difíceis são apenas diferentes em comparação às línguas indo-europeias.
    Como já sabem, a flexão das palavras é rica no finlandês, uma vez que por exemplo os casos abundam. Geralmente os casos são bastante regulares quanto à sua forma e função. Os sufixos dos casos são acrescentados à raiz da palavra e exprimem o mesmo que as numerosas preposições das línguas indo-europeias – o tempo, o lugar, o modo, o proprietário ou o objeto. Sendo assim, o finlandês é uma língua sintética em que os sufixos acrescentados à raiz da palavra têm funções diferentes. A riqueza das formas flexionais no finlandês – como também acontece em algumas outras línguas – aumenta-se pelo fato de os verbos se conjugarem em todas as pessoas: istu-n, istu-t, istu-u, istu-mme, istu-tte, istu-vat (eu sento, tu sentas ele/ela senta, nós sentamos, vocês sentam / você/o Senhor/a Senhora sentam, eles sentam). O sufixo pessoal junta-se à raiz do verbo, tal como o tempo e o modo do verbo.
        Um outro fato que facilita a aprendizagem é que às palavras finlandesas falta o gênero. Tanto ao homem como à mulher refere-se com o mesmo pronome do singular da terceira pessoa, hän. As palavras não têm formas definidas e indefinidas separadas e no finlandês não se usa artigos. Também a relação entre a escrita e a pronúncia é clara, uma vez que o mesmo fonema escreve-se sempre com a mesma letra.       Na língua finlandesa domina a harmonia das vogais; quer dizer que numa palavra não composta apenas podem aparecer vogais anteriores (ä,ö,y; köyhä - pobre) ou vogais posteriores (a,o,u; vauras - próspero).    O finlandês tem relativamente poucas consoantes, mas quase todas podem aparecer dentro de uma palavra tanto numa forma curta como numa forma comprida. As palavras raramente começam ou terminam com combinações de consoantes. Quando muitas palavras de origem estrangeira começam com tais combinações, o finlandês geralmente apenas aceita a última das consoantes. são poucas as consoantes que podem terminar uma palavra. Por isso, no finlandês é muito comum acrescentar uma vogal aos estrangeirismos que originalmente terminavam com consoantes (filmi, posti, pankki – origem em sueco: film, post, bank).




    Já disse uma monte dessas coisas na minha primeira postagem do blog e esse texto foi postado com ajuda de alguns sites.


4 comentários:

  1. Terve Bruno! Havia começado a estudar finlandês há alguns anos atrás, mas sinceramente prefiro o estoniano =P
    De qualquer forma ainda penso em retomar os estudos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terve! Pretendo estudar estoniano em breve. acho bem interessante também.

      Excluir